quarta-feira, 10 de janeiro de 2007

Penaltis é connosco!!!

Em mais uma partida na qual as defesas se sobrepuseram aos ataques, o Benfica voltou a dar excelentes indicações no que à coesão defensiva diz respeito, e também foram os lisboetas a estarem mais perto da vitória durante os 90 minutos. As grandes novidades no “onze” apresentado por Fernando Santos foram as inclusões de Pedro Correia – realizou toda a partida como lateral direito – e de Rui Costa (que jogou mais de uma hora e deixou algumas indicações que apontam para um rápido desenvolvimento dos índices físicos). Ainda assim, e apesar de o ritmo ter sido mais elevado do que aquele verificado na passada segunda-feira, as características da partida não lhe permitiram descortinar lances de grande perigo. Apesar de desde cedo o Benfica ter evidenciado uma disposição mais atacante, quase sempre protagonizada por Rui Costa (centro), Manú (direita) ou Simão (esquerda), acabou por ser a Lázio – que durante toda a partida optou por jogar em contra-ataque – que criou o primeiro lance de perigo, aos 7’, por intermédio de Foggia (por pouco falhou o alvo). Seria preciso esperar meia dúzia de minutos até que Rui Costa descobrisse Simão na área e o extremo apenas foi desarmado, em última instância, por Oddo. Aos 36’ foi a vez de Kikin isolar o capitão benfiquista, mas Peruzzi fez bem a mancha, evitando o golo da equipa portuguesa. O Benfica voltou a entrar da melhor forma na etapa complementar, destacando-se Rui Costa pela forma como pegou, definitivamente, no transporte de bola e como decidiu os ritmos de jogo. Foi mesmo o 10 quem, perto dos 60 minutos, esteve perto de marcar, mas viu o seu remate sair por cima. Os minutos foram passando e, muitas substituições depois, viveram-se uns emocionantes momentos finais. Primeiro foi Anderson, aos 80’, a opor-se in extremis a um remate de Makinwa. Pouco depois os italianos ficariam reduzidos a 10 elementos, já que Oddo viu o segundo cartão amarelo. E o jogo não terminaria sem que Mantorras deixasse de acertar na barra, após um belo cabeceamento. A justiça chegou, novamente, em forma de grandes penalidades, já que Moreira defendeu três remates e abriu caminho para que o jovem Pedro Correia se tornasse no herói da tarde ao apontar o penalty que tudo decidiu. O Benfica juntou, assim, o útil ao agradável e ganhou o Torneio do Dubai, além de ter provado que possui um plantel de elevada qualidade. Em conclusão, Fernando Santos rodou praticamente todos os jogadores e retirou excelentes indicações. O prémio de melhor jogador do torneio também pertenceu à equipa portuguesa, Manú foi o merecedor. Resta dizer que no encontro de atribuição dos 3º e 4º lugares, o Bayern Munique foi mais forte, batendo o Marselha por 4-3.

Parabéns Benfica!!!

Nota de rodapé com resultados das modalidades hoje:

> Basquetebol: Barreirense-72 Benfica-76 (33-44 ao intervalo)
> Hóquei Patins: Benfica-4 Portosantense-1 (2-1 ao intervalo)
> Futsal (Taça): Moinho Juventude-0 Benfica-9 (0-5 ao intervalo)

Sem comentários: