terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Outra vez Cardozo!!!

Dois golos de Óscar Cardozo revelaram-se decisivos para uma entrada com o pé direito do Benfica na actual edição da Taça de Portugal. Num jogo em que se revelou demolidor no espaço aéreo, o Glorioso beneficiou ainda de um cabeceamento certeiro de Luisão, de pouco valendo a reacção dos academistas, num golo de longa distância de N'Doye.

Apresentando várias alterações no "onze", o Benfica da primeira parte não desacelerou relativamente ao que fizera nas últimas semanas, dando nas vistas pela capacidade de reter, do seu lado, o domínio do jogo, bem como de desenvolver sucessivas jogadas de perigo, ora pela direita, ora pela esquerda ou até pelo centro. Desde o minuto inicial que se adivinhava o golo que, ainda assim, ia sendo adiado por uma Académica batalhadora na defesa mas incapaz de criar lances de perigo na baliza esta noite à guarda de Butt.

Bastou esperar oito minutos até que o regressado Edcarlos brilhasse nas alt
uras, vendo apenas o poste negar-lhe o golo, num cabeceamento após pontapé de canto. Foi, aliás, dessa forma que mais o Benfica criou perigo na primeira parte, revelando-se sempre superior nas alturas, relativamente ao seu opositor. Assim, não estranhou que, aos 39 minutos, o outro central, Luisão, subisse à área contrária e atirasse a contar, num excelente desvio de cabeça, após canto bem apontado por Nuno Assis.

Depois, numa noite em que actuou ao lado de Nuno Gomes, Cardozo fez questão de vincar o seu crescendo de forma, isolando-se, aos 45', e atirando, de carrinho, por cima do corpo de Pedro Roma, após excelente passe de um Léo que viu o azar bater-lhe à porta logo na fase inicial da etapa complementar, saindo por lesão e cabendo a Luís Filipe actuar na canhota da defesa "encarnada".

Foi, curiosamente,
nessa fase que mais o Benfica revelou dificuldades. Para tal muito contribuiu o golo da Académica, obtido num remate de longe de N'Doye. Remate esse que traiu Butt, visto o esférico ter batido no chão e no poste esquerdo antes de se anichar nas redes benfiquistas (mesmo assim foi um pato...). Infelicidade para o alemão que, ainda assim, redimiu-se três minutos depois, ao parar, em estilo, um cabeceamento de Joeano. No entanto, novo susto surgiu aos 64', quando Hélder Barbosa rematou em jeito, ao poste.

Apesar do referido bom reinício de jogo dos "estudantes", o Benfica soube recompor-se e, aos poucos, foi agarrando novamente o controlo da partida. Tudo voltou ao normal e as oportunidades começaram a reaparecer, primeiro num remate às redes laterais de Di María e, depois, num chuto de primeira de Adu, que acabara de entrar para o lugar do argentino (a cerca de 15 minutos do fim). A confirmação da vitória surgiu aos 85 minutos, quando Nuno Gomes centrou com conta, peso e medida para o cabeceamento certeiro de Cardozo.

Má arbitragem de C
arlos Xistra, não assinalando um claro penalty de Pavlovic sobre Nuno Assis e assinalando, erradamente, uma falta de Cardozo sobre Litos, num lance em que o paraguaio se isolava, lado a lado com Nuno Gomes.


Força Benfica!!!

Sem comentários: