segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Dois exames: Notas bem Diferentes

Por motivos profissionais não nos foi possível actualizar o blog com a periodicidade desejável nas últimas duas semanas. Por este motivo pedimos desculpa aos nossos leitores e apresentamos agora um breve resumo dos dois últimos jogos do Benfica.

Académica-0 Benfica-2

Domingo, dia 23, a equipa encarnada foi até Coimbra para um jogo que se esperava mais difícil do que realmente foi. O Benfica entrava em campo sabendo já o resultado dos rivais mais directos e, assim, o objectivo só podia ser vencer para não perder terreno para ninguém. Com muitas alterações no onze inicial, a equipa de Quique Flores não tremeu perante uma Académica muito frágil e que se limitava a jogar um futebol de bola para a frente. À passagem da meia hora Nuno Gomes descobriu Ruben Amorim e fez um passe magistral para o 1º golo do médio ao serviço do "glorioso". Logo a começar a 2ª parte, Reyes foi travado em falta dentro da área por Pavlovic, com Cardozo a converter o penalty de forma superior, assinando assim o seu 5º golo da época, apesar da pouca utilização que tem vindo a ter.
Até final do jogo, o Benfica apenas precisou de controlar uma Académica irrequieta, mas inofensiva. A melhor ocasião até final pertenceu mesmo a Suazo, que atirou ao poste.

Com a vitória sobre a Académica, o Benfica é, na presente época, a única equipa das Ligas europeias sem derrotas. Com a derrota caseira do Villarreal, frente ao Valladolid (0-3), no sábado, o Benfica passou a ser a única equipa das principais ligas europeias que ainda não sofreu qualquer derrota.

Olympiakos-5 Benfica-1

Quinta-feira, dia 27, o Benfica jogou na Grécia um jogo praticamente decisivo na caminhada europeia desta época... e o resultado foi uma reprovação tremenda. Logo aos 42segundos já o Benfica perdia, com um golo de Galetti. E os primeiros 25minutos não podiam ter sido mais trágicos, com o Benfica a sofrer 3 golos sem resposta, numa altura em que o Olympiakos tinha feito apenas 3 (!!!) remates!
E a verdade é que, em futebol jogado, o Benfica até nem ficava atrás do Olympiakos, mas as constantes falhas defensivas deixaram a nu a falta que esta equipa sente de Luisão. Pode ser o menos estético dos centrais, mas é o mais fiável. Sidnei, 19 anos, e David Luís, 22 anos, não dão a segurança necessária de que a defesa do Benfica precisa.(hoje, frente ao Setúbal, deverão ter novo teste).
Ainda na 1ª parte, David Luis reduziu para 3-1, mas quando o Benfica procurava o 2º golo, que desse esperança de uma reviravolta na 2ª parte, eis que o Olympiakos, mesmo ao cair do pano do primeiro tempo, acabou por marcar o quarto golo e deitou por terra a esperança encarnada.
Na 2ª parte, o Benfica nunca conseguiu crescer no jogo de modo a fazer frente à equipa grega e acabou mesmo goleado e vergado a um 5-1.

E agora, para seguir em frente na UEFA é preciso um verdadeiro milagre. Para além de Olympiakos ter que vencer na Ucrânia e o Galatasaray não poder perder na Alemanha, é preciso que, na última jornada, o Benfica goleie, em casa, o Metalist por 3 ou mais golos de diferença. A missão é praticamente impossível, mas enquanto houver essa possibilidade, é preciso acreditar!


Hoje é dia de regressar às competições nacionais e quase 1300 dias depois o Benfica pode voltar a tomar a liderança da Liga. É preciso encarar o jogo com grande seriedade e procurar uma vitória para colocar o Benfica no lugar em que todos nós queremos que se mantenha até final da época! FORÇA BENFICA!

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Vitória muito importante!

O Benfica recebeu ontem o Estrela da Amadora e venceu-o por 1-0. O golo solitário foi marcado por Sidnei, que já é o segundo melhor marcador dos encarnados, atrás do paraguaio Óscar Cardozo.

Quique Flores voltou a jogar com dois avançados (Nuno Gomes e Suazo) apoiados por Aimar, que voltou a ser um verdadeiro número 10 em campo e a espalhar alguma classe pelo relvado da Luz. Katsouranis jogou a trinco deixando Carlos Martins (na direita) e Yebda (na esquerda) mais soltos... A defesa foi a habitual, assim como Quim na baliza.

O Benfica pouco conseguia "furar" pelo meio, mas pelas alas tinham de ser os laterais, Maxi e Jorge Ribeiro, a subir para cruzar, e na área ninguém finalizava. Faltou um avançado mais alto e melhor de cabeça para rematar à baliza, como Cardozo (que estava no banco). E assim, até foram os estrelistas a assustar primeiro, mas Quim fez uma defesa fantástica, decorria o 15º minuto do jogo. Mais uma primeira parte sem golos no Estádio da Luz, e na única oportunidade flagrante de inaugurar o marcador, Suazo atirou por cima da baliza, quase escandalosamente...

O intervalo não trouxe alterações na equipa e aos 50' o Benfica marca mesmo. Cruzamento de Aimar, Nuno Gomes amortece para a entrada da área onde aparece Sidnei (!!!) a rematar cruzado e colocado, de pé esquerdo, para o fundo da baliza. O brasileiro fez o seu terceiro golo de águia ao peito e já é o segundo melhor marcador da equipa na época 2008/2009.
Poucas mais ocasiões de golo o Benfica criou durante o jogo, e pode-se mesmo dizer que fez um jogo muito fraco, acabando este na defesa dos encarnados.

Apesar de tudo, o resultado é excelente! Depois do Leixões ter vencido no dia anterior, era importante não o deixar fugir na liderança. E assim mantivemos a distância para o Porto (4 pontos) e aumentamos para o Sporting (5 pontos). Para a semana temos de ir a Coimbra vencer a Académica!


Força Benfica!!!

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

A festa das Taças!!!


Taça de Portugal

O sorteio desta competição foi hoje às 13h e o Benfica terá então uma deslocação a Matosinhos. Ao Porto calhou a equipa mais acessível da prova, a única da III Divisão. Os jogos serão realizados dia 14 de Dezembro (domingo).

Sorteio:
Setúbal/Torre Moncorvo - Guimarães
Estrela da Amadora - Olivais e Moscavide
Paços de Ferreira - Vizela
Leixões - BENFICA
Cinfães - Porto
Trofense -
Nacional
Naval - Portimonense

Valvedez - Lusitano/Fiães/Santa Clara/Freamunde/União da Madeira


Taça da Liga

Esta competição entrou na fase de grupos, e cada um dos grandes "lidera" um grupo. O Benfica tem adversários difíceis e terá mais uma deslocação a Guimarães, os restantes dois jogos serão na Luz. As três jornadas são seguidas, dia 7, 14 e 18 de Janeiro respectivamente.

Sorteio:

Grupo A
Porto, Setúbal, Nacional e Académica

Grupo B
Sporting, Marítimo, Paços de Ferreira e Rio Ave

Grupo C
BENFICA, Guimarães, Belenenses e Olhanense



Força Benfica!!!

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Resolver cedo a pensar já nos Oitavos

Depois do tropeção europeu de 5ª feira, o Benfica-Desportivo das Aves aparecia na agenda como o último jogo desta 4ª eliminatória da Taça de Portugal. O "glorioso" entrou forte e com vontade de resolver cedo... e assim fez. 3 golos nos primeiros 30' descansaram os adeptos da Luz e também a equipa, que controlou o jogo quase em ritmo de treino, apesar de algumas jogadas bem gizadas.

Começou em grande o Benfica. Se nos 8 jogos já realizados na Luz esta época uma das críticas apontadas era a falta de pontaria nas primeiras partes (0 golos em 8 jogos), eis que os comandados de Quique Flores entraram decididos a dar um pontapé nessa questão... neste caso, uma cabeçada... a de Yebda! 3minutos, canto para o Benfica, cobrado por Carlos Martins, com Yebda a ir com a cabeça onde normalmente se joga com os pés e a fazer um belo movimento de rotação, que colocou a bola pela primeira vez dentro da baliza de Rui Faria, que nada podia fazer. Um bom golo do francês a assinalar o dia em que abandonou o cabelo loiro e apareceu sem cabelo.
O jogo continuou com o Benfica a mandar e o Aves a criar muito pouco perigo junto da área de Moreira, o que fez com que o regressado às balizas do Benfica fosse pouco mais do que um mero espectador. E o domínio ia sendo tão esclarecedor que não espantou, aos 20', ver novo golo. Livre apontado por Carlos Martins, mais uma vez ele, e Luisão a aparecer de cabeça na área a desviar para golo. 2-0 no marcador, 2 golos de cabeça... e os contornos do encontro a começarem a definir-se.
Entre os 20' e os 30' assistiu-se ao melhor período do Benfica... Boas combinações de ataque, Leo e Maxi muito envolvidos na ajuda aos homens da frente e Cardozo e Suazo a tentarem combinar, algo que nem sempre aconteceu, mas que ainda deu para ver uma ou outra jogada reveladoras do que esta dupla ainda pode valer, se conjugarmos o melhor de cada um. E foi aos 30' que esta boa fase do jogo encarnado culminou no 3º golo. Aimar em evidência, com mais um passe de fazer levantar o estádio, desta vez de calcanhar, para que Maxi Pereira fizesse o gosto ao pé, num remate de pé esquerdo, pouco habitual nele.
Com o jogo praticamente resolvido em pouco tempo, o Benfica baixou o ritmo de jogo, apostou em ter mais posse de bola e em não dar iniciativa de jogo a um adversário frágil. O máximo que o Aves conseguiu na 1ª parte foi um remate para defesa mais vistosa do que difícil de Moreira. E, diga-se, foi esse o único remate à baliza da equipa avense em todo o jogo.

O intervalo chegou com 3-0 e a 2ª parte trouxe um Benfica menos acutilante, mas que mesmo assim ia criando lances de perigo junto da baliza de Rui Faria, com Cardozo a ser o homem em grande evidência, não pelo que fez, mas pelo que falhou. Primeiro a meter o pé a uma bola, que se deixasse passar para Suazo dificilmente não acabaria em golo. Depois a rematar à figura de Rui Faria quando estava apenas com o guardião pela frente. E depois, ainda, a rematar ao lado num remate de pé esquerdo, algo que não costuma acontecer ao goleador paraguaio.
O Desportivo das Aves, que conta com alguns nomes conhecidos do escalão maior do nosso futebol, como Sérgio Nunes, Rui Miguel ou Gouveia, nunca foi capaz de incomodar o Benfica, algo que o seu técnico admitiu no fim do jogo e, por isso, o tempo foi passando tranquilamente para os homens da Luz, sempre com mais perspectivas de ver o 4º golo do Benfica, do que o tento de honra dos homens do Norte.
Quique aproveitou então para testar jogadores, poupando outros. Saíram Suazo, Sidnei e Carlos Martins para darem lugar a Urreta, David Luiz (o regresso 9 meses depois!) e Balboa.
O central brasileiro recebeu muitos aplausos sempre que tocou na bola e não teve medo de levar a bola para terrenos que habitualmente não são os seus, tendo mesmo rematado de meia distância. Os dois alas foram testados por Quique, que continua à espera que estes rendam mais, (principalmente Balboa, com mais obrigações) e a verdade é que não tendo deslumbrado, também não jogaram mal. Pelo menos já jogaram bem melhor do que contra o Penafiel. Esperemos que ao ganhar minutos ganhem também confiança e sejam mais 2 opções válidas para as escolhas da nossa equipa.

O jogo acabou então com este 3-0. O sorteio para os oitavos-de-final realiza-se na próxima 6ª feira, pelas 13 horas. O sorteio ditará para o Benfica um dos seguintes adversários: Vitória de Guimarães, Trofense, Estrela da Amadora, Porto, Nacional, Leixões, Paços de Ferreira e Naval (Liga Sagres); Vizela, Portimonense (Liga Vitalis); Olivais e Moscavide, Atlético de Valdevez (2ª divisão); Cinfães (3ª divisão); faltam ainda apurar mais duas equipas para esta fase da prova.

Agora é tempo de trabalhar bem e preparar o jogo da Liga do próximo Domingo, frente ao Estrela da Amadora, que temos que vencer para apontar já à liderança da Liga Sagres! FORÇA BENFICA!!

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Má exibição pode complicar...

O Benfica jogou ontem a segunda jornada da fase de grupos da Taça UEFA contra o Galatasaray. Depois de um empate a uma bola na Alemanha, o Benfica perdeu com os turcos por dois golos sem resposta no Estádio da Luz.

Gostava mais de estar aqui a dizer que tivemos muito azar (ou com os postes, ou com uma boa exibição de De Sanctis, ou mesmo uma excelente prestação da defesa turca), mas não. O Benfica jogou mal e mereceu perder!

Ambas as equipas entraram em campo com um "onze" atacante, à procura da vitória. O Benfica apostou na dupla Suazo/Nuno Gomes no ataque, apoiados nas alas por Reyes e Di Maria. O meio campo já era mais recuado, Yebda e Katsouranis. Para mim foi aqui que residiu um dos maiores problemas, a falta de um organizador... O Galatasaray apresentou um Lincoln solto atrás de Arda, Umit e Baros.
Mesmo jogando mal, ou melhor, não jogando bem, o Glorioso foi quem teve as melhores oportunidades do primeiro tempo. Primeiro é Di Maria a fazer uma bela jogada rápida e a colocar a bola à entrada da área a pedir para ser rematada, aparece Nuno Gomes mas um dos defesas turcos intercepta o tiro do português... Depois é Suazo a ter duas excelentes oportunidades, que levantaram o estádio. Aos 19' o hondurenho surge pela esquerda e remata forte e cruzado com a bola ainda a embarrar no poste direito da baliza de De Sanctis. Aos 36' Maxi faz um bom cruzamento e novamente Suazo a rematar forte, à meia volta, para uma fantástica defesa do italiano com as pontas dos dedos...

Mais uma vez, o Benfica vai para os balneários da Luz sem marcar (ainda não marcou nas primeiras partes dos jogos em sua casa). E na segunda parte, quando se pensava que o Benfica vinha com mais garra e vontade de ganhar, jogamos ainda pior e o resultado está à vista.
O Benfica entrou mal e não me lembro de uma boa oportunidade de golo neste segundo tempo, apenas ataques que nada tinham de perigosos... Já o Galatasaray começava a assustar mais! E aos 51' aconteceu o que se temia, golo dos visitantes. Canto apontado pelo brasileiro Lincoln, a bola sobra (infantilmente) para o central Emre que atira a contar.
O Benfica, com o golo sofrido, não passou a jogar melhor, nem mesmo com as entradas de Aimar, Cardozo e Carlos Martins. E foram mesmo os turcos a fazer o segundo. Aos 69' Arda trabalha bem uma jogada finalizada por Umit na cara de Quim.
Até ao apito final, um jogo fraco controlado pelo Galatasaray sem que o Benfica conseguisse sequer responder...

Foi um mau jogo, é certo, mas também há direito a errar! Só foi pena o timming "escolhido", mas tenho esperança na passagem, apesar de ser complicado. Os aplausos dos benfiquistas à sua equipa do coração no final do jogo foram bonitos de se ver e ouvir!


Sempre Benfica!!!

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Nem com 14 nos travam...

Parabéns Benfica! Parabéns porque é com jogos destes, fora, de sofrimento, de saber segurar o jogo e um adversário matreiro (se bem que hoje o Guimarães foi pouco mais que inconsequente) que se constroem equipas. E o Benfica começa a ser uma equipa FORTE, COESA e com FIBRA.

Três tópicos que podem muito bem explicar a exibição do Benfica hoje no Estádio D. Afonso Henriques. Já se sabe que Guimarães é um terreno particularmente difícil para os que por lá passam. Mas o Benfica nem é das equipas que mais tem a temer na cidade Berço, até porque dos chamados "três grandes" é a equipa que melhores resultados consegue no reduto do Vitória. E este ano, as equipas entravam em campo com tradições diferentes. Um Benfica que nunca tinha perdido fora... Um Guimarães que nunca tinha ganho em casa. E a verdade é que, feitas as contas finais, continua tudo na mesma.

O Benfica entrou em campo precisamente sob o efeito do primeiro tópico que lancei: FORTE. Para os que viram alguns dos últimos jogos do Benfica, que mostrava sempre muita dificuldade em apresentar bom futebol no arranque do jogo (não é por acaso que quase todas as nossas vitórias foram construídas nas segundas partes), terão ficado agradavelmente surpreendidos com a entrada da equipa em campo. Meia-hora de grande futebol, meia hora em que o Benfica fez 2 golos, mas até poderia ter feito mais. O árbitro, Carlos Xistra, cedo começou a querer brilhar mais que as equipas. 2minutos, primeiro caso... Aimar entra na área, veloz, flecte para o meio e até parece já ir desiquilibrado, mas isso não invalida a pancada que leva nas pernas. O árbitro manda jogar... e estava dado o pontapé de saída para uma péssima exibição do árbitro de Castelo Branco...
A equipa de Quique Flores não ficou perturbada com este primeiro grande erro e continuou a praticar um futebol agradável, que teve o ponto mais alto no passe magistral de letra de Pablo Aimar (de regresso... e que regresso!) para Suazo, que correu metade do campo com a bola controlada, tirou os 2 defesas do Guimarães da frente e rematou cruzado, sem hipóteses para Nilson. Estava feito o 0-1 aos 15', mas o Benfica mostrou que não tinha a intenção de ficar por aqui.
Três minutos volvidos, aos 18', Pablo Aimar foi travado em falta junto à linha lateral direita, quando conduzia mais um ataque do Glorioso. Reyes bateu o livre à medida para a cabeça de Sidnei que, nas alturas, cabeceou colocado, fez o seu 2º golo da época pelo Benfica (2º de cabeça também) e colocou o resultado em 0-2 bem cedo.
Aos 25' o Benfica até poderia ter feito logo o 3º golo do jogo, não fosse Carlos Xistra ter cortado um lance em que Suazo ficava isolado na cara de Nilson por fora-de-jogo inexistente... Estava visto que da arbitragem não se podiam esperar grandes coisas e até ao fim da primeira parte houve a confirmação disso mesmo... À passagem da meia hora Flavio Meireles dá uma cotovelada em Aimar e o árbitro nada assinala. Já não espantava, por esta altura.
Aos 40', quando o Benfica parecia controlar o jogo contra um Guimarães impotente, eis que Douglas recebe um passe que rasga a defesa encarnada e, na cara de Quim, escolhe bem o lado para rematar e coloca o resultado em 1-2, dando nova esperança aos homens de Cajuda.
Até ao intervalo destaque apenas para a expulsão de Reyes, que deixa o Benfica a jogar com 10 logo aos 44'. Se do 2º amarelo nada digo (apenas que Suazo sofreu falta bem pior, sem que houvesse qualquer falta ou cartão), do 1º posso mesmo dizer que roça o ridículo...

Enfim, chegava o intervalo e Quique precisava de imbuir os jogadores de um espírito de COESÃO e FIBRA. Estava na hora do Benfica vestir a armadura e ir à guerra... E desta vez, nem D. Afonso Henriques valeu aos vimaranenses.
O Benfica voltou dos balneários disposto a tudo e bem avisado para os artifícios desse senhor do apito, que teima em errar, ERRAR DEMASIADO, nos jogos em que estamos envolvidos. E na 2ª parte a verdade é que houve muito pouca história. O Benfica fechou-se bem, com 8 homens mais preocupados em defender, à frente de Quim, e com um Suazo endiabrado e sempre muito mexido a receber bolas na frente e a tentar uma oportunidade para fugir à defesa do Vitória de Guimarães.
E se se pode dizer que o Benfica não criou muitos lances de perigo, também é justo afirmar que o Vitória tinha domínio territorial, tinha posse de bola, mas lances de perigo tinha ZERO...
Era então hora de refrescar peças no terreno de jogo... Aimar, naturalmente cansado depois do regresso de lesão, deu o lugar a Carlos Martins (boa entrada)... Suazo saiu para dar lugar a Cardozo (não esteve muito em jogo, mas também não tinha missão fácil)... Ruben Amorim saiu para dar lugar a Binya (esteve 10minutos em campo, se contarmos com os descontos e não comprometeu).
A verdade é que nada de muito interesse se passou na 2ª parte a não ser o somatório de nabices de um árbitro sem categoria, que poupou a expulsão a Andrézinho e que abusou ao dar 5' de descontos de tempo, num jogo que nem justificava tanto.

O jogo acabou mesmo assim, o Benfica conquistou a cidade Berço mais uma vez. Suazo fez o golo 5000 do Benfica a contar para os campeonatos nacionais. Com esta vitória o Benfica sobe mais um degrau, é agora 2º, com 15 pontos, e tem à sua frente apenas o Leixões, com mais um ponto. Neste momento temos também o melhor ataque da prova e na próxima jornada jogamos em casa contra o Estrela da Amadora, enquanto que o nosso maior adversário actualmente (o Leixões) tem que ir jogar a Alvalade.

Mas agora é hora de pensar noutros voos, numa semana de grande importância para o Benfica. Depois de vencer mais um jogo da Liga Sagres, há mais dois desafios para vencer a curto prazo: Galatasaray, para a taça UEFA, e Desportivo das Aves, para a Taça de Portugal.

É preciso manter a chama acesa... FORÇA BENFICA!!!