sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Má exibição pode complicar...

O Benfica jogou ontem a segunda jornada da fase de grupos da Taça UEFA contra o Galatasaray. Depois de um empate a uma bola na Alemanha, o Benfica perdeu com os turcos por dois golos sem resposta no Estádio da Luz.

Gostava mais de estar aqui a dizer que tivemos muito azar (ou com os postes, ou com uma boa exibição de De Sanctis, ou mesmo uma excelente prestação da defesa turca), mas não. O Benfica jogou mal e mereceu perder!

Ambas as equipas entraram em campo com um "onze" atacante, à procura da vitória. O Benfica apostou na dupla Suazo/Nuno Gomes no ataque, apoiados nas alas por Reyes e Di Maria. O meio campo já era mais recuado, Yebda e Katsouranis. Para mim foi aqui que residiu um dos maiores problemas, a falta de um organizador... O Galatasaray apresentou um Lincoln solto atrás de Arda, Umit e Baros.
Mesmo jogando mal, ou melhor, não jogando bem, o Glorioso foi quem teve as melhores oportunidades do primeiro tempo. Primeiro é Di Maria a fazer uma bela jogada rápida e a colocar a bola à entrada da área a pedir para ser rematada, aparece Nuno Gomes mas um dos defesas turcos intercepta o tiro do português... Depois é Suazo a ter duas excelentes oportunidades, que levantaram o estádio. Aos 19' o hondurenho surge pela esquerda e remata forte e cruzado com a bola ainda a embarrar no poste direito da baliza de De Sanctis. Aos 36' Maxi faz um bom cruzamento e novamente Suazo a rematar forte, à meia volta, para uma fantástica defesa do italiano com as pontas dos dedos...

Mais uma vez, o Benfica vai para os balneários da Luz sem marcar (ainda não marcou nas primeiras partes dos jogos em sua casa). E na segunda parte, quando se pensava que o Benfica vinha com mais garra e vontade de ganhar, jogamos ainda pior e o resultado está à vista.
O Benfica entrou mal e não me lembro de uma boa oportunidade de golo neste segundo tempo, apenas ataques que nada tinham de perigosos... Já o Galatasaray começava a assustar mais! E aos 51' aconteceu o que se temia, golo dos visitantes. Canto apontado pelo brasileiro Lincoln, a bola sobra (infantilmente) para o central Emre que atira a contar.
O Benfica, com o golo sofrido, não passou a jogar melhor, nem mesmo com as entradas de Aimar, Cardozo e Carlos Martins. E foram mesmo os turcos a fazer o segundo. Aos 69' Arda trabalha bem uma jogada finalizada por Umit na cara de Quim.
Até ao apito final, um jogo fraco controlado pelo Galatasaray sem que o Benfica conseguisse sequer responder...

Foi um mau jogo, é certo, mas também há direito a errar! Só foi pena o timming "escolhido", mas tenho esperança na passagem, apesar de ser complicado. Os aplausos dos benfiquistas à sua equipa do coração no final do jogo foram bonitos de se ver e ouvir!


Sempre Benfica!!!

4 comentários:

Jotas disse...

Caro Eusébio, foi de facto uma noite menso conseguida.
Houve dmasiados erros individuais e equipa como colectivo não funcionou, as equipasem fase de crescimento têm por vezes disto, mas se eu acho que a regularidade a esta equipa será uma realidade apenas na 2ª volta, também penso que com os jogadores que temos o nosso futbol já deveria ser mais constante e agradável.
Fica realmente na memória o exemplo do público, uma lição para muitos.

Pé Esquerdo Fulminante disse...

Péssima exibição a nível tácito do Benfica ontem! Um dia mau para Quique que falhou na táctica inicial e para piorar as coisas emenda ainda foi pior que o soneto...

É verdade que esta derrota nos deixa numa posição difícil agora mas é verdade que temos qualidade, espero que a mostremos agora nas jornadas que faltam!

Cumprimentos :)

Avô Maltine disse...

"Alguém entrou em pânico com o Apito Dourado"

http://www.correiodamanha.pt/noticia.aspx?contentid=9B65E676-B638-4AA1-A69B-7ECCCDFA31C9&channelid=00000019-0000-0000-0000-000000000019

Teófilo Santiago, 52 anos de idade, 25 de carreira. Destemido, teimoso e emotivo. Uma figura incontornável da Polícia Judiciária, um dos quadros com mais provas dadas na investigação. Conta a experiência de ser demitido após fazer parte da direcção que desencadeou o Apito Dourado e defende que só a Judiciária deve fazer investigação criminal.

1- " Não houve confusão, foi tudo muito claro. Em Junho de 2004, quando fomos demitidos [http://dossiers.publico.pt/noticia.aspx?idCanal=1296&id=1195405], foi a primeira vez que, de forma explícita, houve um ataque brutal à integridade da investigação. Feito de forma soez, feia e cobarde. "

2 -" alguém terá entrado em pânico ao não saber o que lá estava. E essa necessidade tornou-se uma necessidade imensa. Nunca me tinha acontecido, que alguém quisesse saber o que estava no processo. Foi a primeira vez e estive envolvido em investigações de melindre. Nunca, por nunca, tinha havido essa quebra de respeito pela integridade da investigação.
"

Braga disse...

Encontrado mais um senhor para os Andrades descredibilizarem:

Parte da tradução do livro "One night at the Palace - a referee's story" que mais não é que a biografia de Alan Wilkie, que foi um dos melhores árbitros europeus dos anos 80. A ver:

"Em 1988, antes do FC Porto - PSV fomos recebidos no aeroporto do Porto por um ex-árbitro da FIFA, Julio Guemerez (sic), que nos acompanharia ao longo dos 3 dias. Passámos pelo hotel e depois fomos para o centro do Porto para comer e tomar uma bebida em 2 estabelecimentos que pertenciam ao clube. Os nossos cicerones insistiam em colocar outro tipo de 'hospitalidade' no menu, mas nós declinámos de forma cortes".

PS: Penso que a Leonor Pinhão não trabalha nesta editora.