quarta-feira, 18 de março de 2009

Assim não vamos lá...

O Benfica foi derrotado pela primeira vez na Luz, esta época, em jogos a contar para a Liga Sagres. Uma noite menos conseguida da formação "encarnada" que, frente a um eficaz V. Guimarães, não conseguiu encontrar o caminho da baliza, mesmo tendo em conta que dominou por completo a partida referente à 22ª jornada da competição. Pecado capital, certamente a dificuldade em criar lances de perigo durante larga parte do jogo.

Repetindo o mesm
o "onze" que arrecadara os três pontos na Figueira da Foz, Quique Flores até mesmo na colocação das peças no xadrez deu o esperado seguimento, deslocando Reyes para a direita e mantendo Di María na esquerda (solução que se revelara vital na vitória sobre a Naval). Mais surpreendente foi a forma como Manuel Cajuda dispôs a sua formação, apostando num 4-4-2 em losango no qual Marquinho e Roberto fizeram par na frente, enquanto Flávio surgiu numa posição traseira e Nuno Assis como o mais avançado elemento de um miolo em que Desmarets descaiu para a esquerda e João Alves para a direita.

Um losango que se revelaria, ao longo de toda a primeira parte, talhado para missões mais defensivas e não tanto para criar. Dificuldades, pois, para um Benfica a apostar no jogo pelos flancos e apresentando diversas soluções atacantes (quase sempre provenientes de combinações entre Aimar, Reyes e Di María) mas que pecou quase sempre por, na hora da conclusão, apresentar poucas peças na zona de tiro (Cardozo muito isolado). Assim, rarearam as situações de perigo, tendo sido mormente em lances de bola parada (especialidade benfiquista) que se registou maior alvoroço nas quase cheias bancadas da Luz. Exemplo disso, aos 42', numa assistência de Luisão (após livre de Reyes) para Aimar que não conseguiu atirar com pontaria, apesar de estar em boa posição.

As dificuldades continuaram na segunda parte, com o Benfica a tentar apresentar um futebol mais apoiado e tendo em Katsouranis peça fulcral em termos de reacção, pois o grego com
eçou a subir mais no terreno, tentando criar os até então inexistentes desequilíbrios nas transições ofensivas. E foi já com Nuno Gomes (Cardozo "sacrificado") em campo que o grego desperdiçou uma boa oportunidade, chutando ao lado após centro de Aimar. Corria o minuto 66 e, na resposta, o Vitória, imagine-se, chegou ao golo por intermédio de Roberto na sequência de um rápido contra-ataque gizado por Marquinho. Na sua primeira oportunidade, a formação minhota marcava e gelava a Luz.

Logo depois, cheirou a empate, com Nuno Gomes a cabecear para grande defesa de Nilson, após centro de Di María. Mas a distância existente entre os jogadores benfiquistas e a eficiência defensiva vimaranense não facilitou a tarefa de um Benfica que terminou o jogo com Balboa na direita, Reyes na esquerda e Urreta no apoio a Nuno Gomes, continuando Aimar enquanto construtor de jogo. Era o tudo por tudo, mas mais com o coração do que com a cabeça. E foi, curiosamente, com a cabeça que Miguel Vítor obrigou Nilson à defesa da noite, após livre apontado por Reyes que, logo depois, assistido por Nuno Gomes, atirou ao lado. Ainda antes do final, destaque para toque de calcanhar de Urreta, isolando Balboa, que atirou ao lado. Lance derradeiro de um Benfica em noite menos feliz e que poderá ter dado um passo atrás na luta pelo título...

Agora é ganhar a Taça da Liga! A final será disputada este sábado no Algarve, frente ao Sporting.


Força Benfica!!!

segunda-feira, 9 de março de 2009

Na frente, tudo na mesma

Marcar, adormecer, sofrer e vencer. Assim se pode resumir a ida do Benfica, ontem à noite, à Figueira da Foz, onde a Naval vendeu cara a derrota, num jogo dividido entre o golo madrugador das águias, uma primeira parte "seca" de oportunidades e um segundo tempo mais emotivo. O Benfica mantém o 2º lugar da Liga Sagres, a dois pontos do Porto.

Quique Flores renovou a aposta numa frente de ataque generosa, com Di María e Reyes nas alas, a fazer companhia a Aimar e Cardozo. Mas ataque foi coisa que pouco se viu ontem à noite na Figueira da Foz. Na defesa, a opção voltou a recair em Miguel Vitor, ao lado de Luisão, e Yebda foi o substituto do lesionado Ruben Amorim.

O Benfica entrou da melhor maneira: a vencer. Perto do minuto 3, Aimar, aproveitando um mau alívio da defesa da Naval, rematou de primeira numa posição central (fora de área).
Depois disso, a primeira parte foi um suplício como jogo de futebol, sem oportunidades de golo ou jogadas com princípio, meio e fim por parte das duas equipas. Apesar da maior posse de bola da Naval, o Benfica foi anulando a resposta da equipa da casa.

A segunda parte mudou consideravelmente a história do jogo, trazendo mais emoção e golos. O Benfica continuou numa toada meio adormecida e com pouca ambição. Foram precisos oito minutos da segunda parte para tudo mudar. A Naval 1º de Maio fez o empate ao 53', num arremesso lateral que Godemèche desviou e Luisão cortou mal, permitindo ao recém-entrado Marcelinho marcar.
O golo mexeu com a partida e com os encarnados, que começaram a rematar com mais frequência. Sinal disso foi o remate à barra de Di María. Aos 63' foi Cardozo a desmarcar-se bem e a rematar cruzado, bem perto do poste de Peiser.
O golo da vitória surgiu de bola parada (claramente o ponto forte deste Benfica). Reyes "picou" para a área e Miguel Vitor assistiu Katsouranis. À beira da baliza, o grego não falhou e deu às aguias o triunfo.

Mais uma vez o Benfica adormece depois de se encontrar em vantagem, o que não pode acontecer. Principalmente se a vantagem for alcançada aos três minutos...
O golo da naval, portanto, já se previa e só depois o Benfica reagiu e foi à procura do segundo golo. Por acaso foi a tempo... O Benfica tem de jogar para ganhar, sempre!

Nesta partida destaco: Aimar, em crescendo de forma desde a lesão, e um golo; Di María, outro que está bem melhor que no início da época, espero que continue com a raça de ontem; Katsouranis, seguro no meio campo e vai à frente marcar golo; Yebda, regresso em forma.

Na próxima jornada os três grandes jogam em casa e são favoritos! O Benfica tem de continuar a vencer e esperar o deslize dos dragões para assaltar a liderança...


Força Benfica!!!